visitantes

domingo, 24 de julho de 2011






















Casa Batlló é um dos dois grandes edifícios desenhados por Antoni Gaudí no Passeig de Gracia, Barcelona, sendo o outro La Pedrera.

Do lado de fora a fachada da Casa Batlló parece que foi feita a partir de crânios e ossos.

Gaudi usou cores e formas encontradas na vida marinha como inspiração para sua criatividade neste edifício, por exemplo, as cores escolhidas para a fachada são aqueles encontrados em coral natural.

O edifício foi projetado por Gaudi para Josep Batlló, um rico aristocrata, como uma casa de luxo. Señor Batlló viveu na parte inferior dois andares com a família e os andares superiores eram alugados como apartamentos.

Este edifício é uma obra impressionante e original e vale pena a visita. Se você decidir dar uma olhada dentro de você vai aprender muita atenção aos detalhes





Antoni Gaudí Corneti, 25 de junho de 1852, Barcelona, 10 de junho de 1926, foi um espanhol catalão arquiteto e representante mais conhecido do modernismo catalão. O trabalho de Gaudí foi marcado por quatro paixões de sua vida: arquitetura, natureza, religião e seu amor pela Catalunha.

Gaudí meticulosamente estudado, cada detalhe de suas criações, integrando em sua arquitetura uma série de ofícios, em que ele próprio era hábil, tais como cerâmica, vitral, ferro forjado e carpintaria. Após alguns anos sob a influência do neo-gótico arte, e certas tendências orientais, Gaudí passou a fazer parte do catalã o Modernista, movimento que estava então em seu auge, no final do século 19 e o início dos 20. Caracteriza pela liberdade de forma, cor e texturas voluptuosas e na unidade orgânica, Gaudí trabalhou quase sempre em Barcelona ou nos seus arredores. Grande parte da sua carreira foi ocupada com a construção do Templo Expiatório da Sagrada Família, que ainda não estava concluído quando morreu.


segunda-feira, 18 de julho de 2011

segunda-feira, 11 de julho de 2011

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Colecionadora de arte

Peggy Guggenheim

26/8/1898, Nova York, EUA
23/12/79, Pádua, Itália

Da Página 3 Pedagogia & Comunicação

Peggy Guggenheim, além de uma grande herdeira, foi patrona de artistas e dona de uma das mais importantes coleções de arte moderna do século 20. Nascida em uma rica família de Nova York, era filha de Benjamin Guggenheim, que morreu no naufrágio de Titanic em 1912, e sobrinha de Solomon Guggenheim, fundador da fundação com o mesmo nome.

Aos 21 anos, Peggy herdou uma pequena fortuna, não comparável à de seu pai, e se tornou amiga da comunidade artística e boêmia. Em 1920, mudou-se para Paris, onde conviveu com escritores e artistas, muitos dos quais viviam na pobreza em Montparnasse. Em companhia de Constantin Brancusi e Marcel Duchamp, promoveu a arte.

Casou-se pela primeira vez com Laurence Vail, um escultor e escritor. Em 1938, abriu uma galeria de arte moderna em Londres e começou a colecionar obras de arte.

No período da Segunda Guerra Mundial, comprou tudo o que pôde de arte abstrata e surrealista. Conseguiu adquirir obras de Picasso, Miró, Magritte, Dali, Klee e Chagall.

Retornou a Nova York e, em 1942, abriu outra galeria chamada "Arte deste Século". Graças a seu interesse em novos talentos, procurou alavancar a carreira de muitos artistas modernos que se tornaram importantes, incluindo o pintor americano Jackson Pollock e o pintor alemão-francês Ernest, com quem casou.

Após a guerra e seu divórcio, em 1946, retornou à Europa e estabeleceu sua coleção no grande Palácio Vernier dei Leoni, em Veneza. Por volta dos anos 1960, Peggy parou de coletar obras e concentrou-se em apresentar o que já possuía. Emprestou sua coleção a museus de toda a Europa e América, incluindo o Guggenheim de Nova York.

A Coleção de Peggy Guggenheim é o museu mais importante de arte européia e americana da primeira metade do século 20 na Itália. Sua coleção engloba o cubismo, o surrealismo e o expressionismo abstrato.

Peggy viveu em Veneza até a sua morte, em Pádua, no ano de 1979. Sua vida foi cheia de histórias interessantes que envolvem seus maridos e casos, não raro famosos artistas que a cercaram durante toda a vida em Londres, Nova York, Paris e Veneza.